China culpa manipulação por alta nos preços do minério de ferro

A principal agência de planejamento econômico da China atacou as três maiores produtoras de minério de ferro do mundo nesta quarta-feira, acusando-as, juntamente com alguns traders, de manipular o mercado a fim de causar uma alta de 80 por cento nos preços em somente seis meses.

Reuters

06 de março de 2013 | 12h53

As acusações ocorrem em um contexto de maiores custos das matérias-primas, que levaram as principais siderúrgicas a enormes prejuízos na China, maior importadora mundial de minério de ferro, representando 60 por cento da demanda global.

"As três principais mineradoras e alguns traders atrasaram os envios e seguraram seus estoques para controlar os estoques, a fim de enviar um sinal falso para o mercado de que havia uma escassez de oferta", disse a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) em seu website. (http://www.sdpc.gov.cn/zjgx/t20130306_531398.htm)

A NDRC não citou nomes. As maiores exportadoras mundiais de minério de ferro são as australianas Rio Tinto, a BHP Billiton e a brasileira Vale, maior produtora global.

Algumas mineradoras estão comprando de volta cargas de minério de ferro do mercado spot a fim de elevar os preços da principal matéria-prima do aço, acrescentou a agência.

A BHP comprou 100 mil toneladas da commodity em janeiro em uma medida rara vista por participantes do mercado como uma estratégia dos produtores para aliviar o declínio dos preços.

"Você sempre pode acusar alguém de manipulação, mas é muito difícil de justificar", disse um analista de uma corretora asiática que declinou se identificar por conta da sensibilidade do assunto.

"É um mercado livre, não há regulamentação."

O preço do minério de ferro referência recuou para uma mínima de três anos de cerca de 87 dólares por tonelada no início de setembro, acompanhando um declínio na demanda chinesa. Desde então, no entanto, os preços subiram em um ritmo muito acelerado, ganhando mais de 25 por cento somente em dezembro e atingindo uma máxima de 15 meses, a 152,50 dólares por tonelada, em janeiro. Atualmente, o minério é cotado a 145,80 dólares.

Enquanto parte da alta se deu por conta a uma recomposição de estoques pelas siderúrgicas chinesas antes da temporada de ciclones na Austrália, a alta foi exacerbada pela manipulação dos preços pelas mineradoras, e por um insensato mecanismo de precificação, disse a NDRC em um enfático comunicado.

A agência também disse que as mineradoras estavam tirando vantagem de "processos de licitação nada transparentes para elevar os preços".

Importantes mineradoras de minério de ferro vendem uma pequena porção de minério de ferro por meio de licitações, cujos resultados influenciam os índices mundiais de minério de ferro.

A Associação Chinesa de Ferro e Aço, um órgão da indústria representando as grandes siderúrgicas da China, têm solicitado ao governo do país uma investigação sobre uma possível manipulação de preços por mineradoras e traders, disse um funcionário sênior em uma conferência da indústria no mês passado.

(Reportagem de Ruby Lian e Fayen Wong)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERIOCHINAPRECOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.