China pode permitir grupos privados na telefonia móvel

A China está considerando um processo para permitir que empresas privadas ofereçam serviços móveis através da aquisição de frequências de banda larga de grandes operadoras, em uma medida que visa a estimular a concorrência na indústria de telecomunicações controlada pelo Estado.

Reuters

09 de janeiro de 2013 | 12h08

O Ministério da Tecnologia da Indústria e da Informação chinês disse em comunicado que vai consultar a opinião pública sobre o plano até o dia 6 de fevereiro, o que seria um passo fundamental para a liberalização do maior mercado de telefonia do mundo, com mais de um bilhão de assinantes.

O mercado de telefonia móvel no país tem três operadoras, a China Mobile, a China Unicom (Hong Kong) e a China Telecom, mas apenas cerca de 20 por cento dos assinantes sejam usuários 3G. Os demais usam a tecnologia 2G.

(Por Lee Chyen Yee)

Mais conteúdo sobre:
TECHCHINACONCORRENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.