China precisa investir mais em minério de ferro no exterior--comissão

A China, o maior consumidor de minério de ferro do mundo, precisa investir mais em projetos estrangeiros de mineração para melhorar seu poder de determinação de preços, disse a maior autoridade de planejamento econômico do país nesta segunda-feira.

Reuters

27 de janeiro de 2014 | 07h44

Em uma análise publicada em seu website (www.ndrc.gov.cn), a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China disse que as importações de minério de ferro continuarão a subir e que o país permanecerá dependente de importações. O órgão disse também que a "monopolização" dos recursos globais de minério de ferro devem continuar.

A China vem tentando há muito tempo diversificar suas fontes de fornecimento e aliviar sua dependência dos maiores produtores na Austrália e no Brasil, que incluem a Rio Tinto, a BHP Billiton e a Vale.

O país importou 819 milhões de toneladas de minério de ferro no ano passado, um aumento de 10,2 por cento sobre 2012, com a Austrália e o Brasil fornecendo juntos quase 70 por cento do total. A China tem acusado as grandes mineradoras estrangeiras de usarem seu status de "monopólio" para aumentar os preços, pressionando assim as margens do setor de aço.

A comissão disse que mais investimentos por empresas chinesas no setor de minério de ferro no exterior vai melhorar o equilíbrio entre preços de minério de ferro e aço e "formará um novo modelo de cooperação entre exploração e distribuição".

O documento recomendou a criação de um fundo de investimento para apoiar empresas locais no desenvolvimento de projetos de mineração no exterior, e na construção de usinas siderúrgicas e outros projetos de indústria pesada fora da China para reduzir o uso doméstico de minério de ferro.

(Por David Stanway)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSFERROCHINAINVESTIMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.