China revende até 500 mil t de açúcar brasileiro--operadores

A china revendeu até meio milhão de toneladas de açúcar brasileiro, programado para chegar na costa do país asiático no terceiro trimestre, para destinos como a Índia, a Indonésia e a Malásia, a fim de evitar um excesso de oferta, disseram cinco operadores neta terça-feira.

LEWA PARDOMUAN, Reuters

14 de agosto de 2012 | 12h03

As importações chinesas de açúcar aumentaram em 170 por cento na primeira metade do ano, após um esquema do governo para comprar a commodity para reservas terem elevado os preços domésticos, e encorajado traders a levar carregamentos para o segundo maior consumidor mundial.

Mas as revendas também sugerem que ainda há alguma demanda pelo adoçante, o que pode ajudar os contratos futuros do açúcar bruto na bolsa de Nova York (ICE) a resistirem à pressão causada pelos aumentos de estoques no Brasil, importante produtor. O contrato referência em Nova York caiu para seu nível mais baixo desde o final de junho.

"Tem havido um grande número de cargas que originalmente se destinavam à China, que acabaram indo para destinos alternativos", disse Tom McNeill, diretor da Green Pool, uma consultoria de commodities em Brisbane.

"Isso inclui cerca de 320 mil toneladas, que originalmente deveriam ser entregues na China entre os meses de julho/agosto/setembro de 2012, e foram revendidas para outros destinos, incluindo a Indonésia, a Malásia e Bangladesh", disse McNeil, acrescentando que o volume total poderia ser de até 400 mil toneladas.

Outros operadores estimaram tal quantidade entre 300 mil e 500 mil toneladas, dizendo que mais carregamentos também poderiam ser revendidos no quarto trimestre devido a uma alta dos estoques domésticos.

Os estoques Chineses no final do novo ano safra de 2012-2013 devem ser 22 por cento maiores que no ano anterior, a 2,3 milhões de toneladas -- mostraram dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos na China --aproximadamente a mesma quantidade de açúcar importada pelo país em uma temporada.

Os futuros do açúcar branco cotados na bolsa de Zhengzhou estavam quase caindo para seu valor mais baixo desde o final de 2010 por amplos estoques domésticos.

(Reportagem de Lewa Pardomuan)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSACUCARCHINABRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.