China suspende compra de aviões da UE em resposta à lei de emissão

Em retaliação às normas de redução de emissões da aviação em vigor na União Europeia desde 1.º de janeiro, a China suspendeu a compra de mais dez jatos Airbus, disseram ontem duas fontes de mercado.

O Estado de S.Paulo

16 Março 2012 | 03h06

A decisão de adiar a compra de aviões A330 eleva para 14 bilhões os prejuízos da aeronáutica europeia relacionados ao recém-implantado esquema de compra de permissões de emissão de gases-estufa. Pelas novas normas, as companhias aéreas que operam nos aeroportos do bloco devem compensar suas emissões de gases-estufa comprando créditos no mercado europeu. A medida irritou países como China, Índia e EUA. No início da semana, a Airbus noticiara que a China tinha suspendido a compra de 35 aeronaves A330s e de 10 Airbus A380, num total de 12 bilhões.

A indústria europeia espera que a Organização Internacional da Aviação Civil negocie um acordo alternativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.