Chipre diz que ameaça foi contida; não há planos para sair do euro

O presidente do Chipre disse nesta sexta-feira que o risco de falência foi controlado e que o país não tem intenção de deixar o euro, em um discurso carregado com críticas ao bloco de moeda única por "experimentar" com o destino da ilha.

Reuters

29 de março de 2013 | 09h24

O líder conservador Nicos Anastasiades discursou um dia depois da reabertura dos bancos, seguindo quase duas semanas de fechamento para evitar uma corrida bancária por cipriotas e depositantes estrangeiros ricos, na medida em que o país corria para conseguir um pacote de resgate da União Europeia.

Anastasiades disse que as restrições impostas em transações bancárias em Chipre --sem precedentes no bloco desde que o euro entrou em circulação em 2002-- seriam gradualmente retirados. Mas não deu nenhum prazo para que isso ocorra.

(Por Michele Kambas)

Tudo o que sabemos sobre:
CHIPRECRISECONTIDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.