Choque intervém e libera acesso ao Porto de Santos

Depois de 4 horas de manifestações e fechamento das estradas que dão acesso ao Porto de Santos e ao Polo Industrial de Cubatão, a Polícia Militar, que assistia tudo à distância, interveio e dispersou os manifestantes, liberando totalmente o acesso à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, nesta segunda-feira, 24. O protesto começou por volta das 7 horas, com o fechamento dos acessos, já a partir da Rodovia Anchieta.

ZULEIDE DE BARROS E GABRIELA VIEIRA, Agência Estado

24 de junho de 2013 | 14h47

Até 11 horas, o movimento era considerado pacífico, embora tenha causado sérios prejuízos para o parque industrial de Cubatão, porque coincidiu com o horário de entrada dos funcionários administrativos e dos turnos. Os maiores problemas foram observados na Usiminas, Petrobrás e na Vale Fertilizantes, que tiveram de liberar seus funcionários. Eles ficaram presos na estrada, no interior dos ônibus fretados. Mas a situação saiu de controle, a partir das 11 horas, quando vândalos resolveram atear fogo em pneus e até em um ônibus. Eles impediram o acesso dos bombeiros. Neste momento, o pelotão de choque foi recrutado e acabou dispersando o protesto, liberando as estradas da região. Não houve prisões.

A demora maior para liberar a estrada se deu em razão da limpeza da pista, já que alguns vândalos abriram a carroceria de um caminhão, liberando toda a carga de soja, que ficou espalhada pela estrada.

A Imigrantes, que também estava interditada por uma outra manifestação, na altura do km 43, sentido litoral, foi liberada por volta das 13h30. De acordo com informações da Ecovias, concessionária que administra as estradas do sistema Anchieta-Imigrantes, não há mais protestos na região.

O trânsito segue complicado nas rodovias. No trecho de serra da Anchieta, foi implantada operação de descida pelas duas pistas. Ainda assim, há engarrafamento do km 31 ao km 55.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosCônegoCubatão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.