Chuva dificulta colheita de café

No Paraná, produtores temem que atraso e tempo úmido[br]prejudiquem a qualidade dos grãos

Venilson Ferreira, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2008 | 01h53

As condições climáticas (chuvas e queda nas temperaturas) nas regiões produtoras dificultaram o avanço da colheita e a secagem de café na última semana de junho. Segundo técnicos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq), o volume de café da safra nova disponível no mercado ainda é baixo. ''A partir desta semana, início oficial da temporada 2008/2009, a expectativa é a de que as atividades ganhem ritmo, favorecidas pelo clima mais firme.''Os técnicos observam que no noroeste do Paraná, além da colheita tardia, o clima desfavorável preocupou cafeicultores. ''Muitos grãos estão nos terreiros para secagem e o tempo úmido pode depreciar a qualidade do café, que pode fermentar, ficar manchado ou perder coloração.'' Agentes de mercado consultados pelos técnicos dizem que 35% da safra paranaense foi colhida até o fim da última semana. ''A expectativa é a de que o pico de safra ocorra na primeira quinzena de julho'', dizem os técnicos.MERCADOOs técnicos do Cepea comentam que os preços do café arábica da safra 2008/2009 já começam a se aproximar dos valores dos grãos remanescentes da safra passada. Eles explicam que, normalmente, no início da colheita, os grãos novos chegam a valer menos, por causa da desuniformidade dos lotes (grãos verdes e maduros no mesmo talhão). Neste ano, por causa do atraso da colheita, essa disparidade entre os preços durou mais tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
CAFÉCOLHEITASECAGEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.