Chuva fecha aeroporto e deixa um desaparecido em BH

Corpo de Bombeiros foi acionado ao menos 29 vezes para atender ocorrências relacionadas a árvores

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2008 | 17h57

A chuva ininterrupta que atingiu Belo Horizonte e região metropolitana da noite de domingo até a tarde desta segunda-feira, 15, provocou prejuízos e vítimas. Pela manhã, um homem de 27 anos foi arrastado pela correnteza quando nadava no Córrego do Onça, no bairro São Bernardo, região norte da capital mineira. Até o final da tarde, equipes do Corpo de Bombeiros, com o auxílio de um helicóptero, realizavam os trabalhos de busca do desaparecido, identificado como Edmar de Sena Ferreira.   Conforme familiares, o rapaz estaria embriagado e, por volta de 10 horas, resolveu mergulhar no córrego. Chovia muito e Ferreira acabou não resistindo à força das águas, sendo levado pela correnteza.   O corpo de uma mulher foi encontrado no início da tarde nas margens do mesmo córrego, na altura do bairro Novo Aarão Reis, também na região norte. A princípio, porém, o óbito não foi contabilizado como uma vítima das chuvas.   Durante esta segunda, os bombeiros atenderam 42 ocorrências de inundações, risco de deslizamentos e desabamentos. Além de Belo Horizonte, cidades como Contagem, Ribeirão das Neves e Santa Luzia também sofreram com os efeitos da chuva prolongada. Em Contagem, no bairro Tropical, o desabamento de um muro de arrimo matou um trabalhador.   Pela manhã, o trânsito na capital mineira ficou bastante lento nas regiões central e sul, cujo tráfego, devido à proximidade do Natal, costuma ser mais intenso nesta época do ano. No bairro Funcionários, uma árvore de médio porte caiu sobre uma moto, ferindo levemente seus dois ocupantes.   O condutor Renato Soares Polessa, de 24 anos, e o garupa Pedro Paulo Marques, de 33, foram socorridos e levados para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. O Corpo de Bombeiros foi acionado pelo menos 29 vezes para trabalhos de vistoria ou corte de árvores na capital.   Aeroportos   A chuva intermitente também levou ao fechamento, por oito horas, do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins. Segundo a Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), o aeroporto ficou fechado das 5 às 13 horas. Até as 18 horas, 25 vôos foram cancelados e 51 estavam atrasados. No Aeroporto da Pampulha, região norte da capital, a chuva provocou atrasos em 12 vôos e cancelou outros seis. Durante toda manhã, o aeroporto operou por instrumentos.   Atualizado às 18h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.