Chuva fecha Santos Dumont; Congonhas opera por instrumentos

Vôos de São Paulo para o Rio de Janeiro são alternados para o Aeroporto Tom Jobim nesta manhã

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

23 de outubro de 2007 | 07h46

A chuva que caia no Rio de Janeiro na manhã desta terça-feira, 23, fechou o Aeroporto Santos Dumont para pousos e decolagens de aeronaves grandes. Às 7h30, o aeroporto estava fechado e segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), a medida era preventiva e deve acontecer sempre que a pista estiver molhada. Apesar do fechamento do aeroporto, a Infraero registrava dois cancelamentos e não indicava atrasos superiores a uma hora, sendo que sete vôos estavam programados. Vôos vindo se São Paulo eram alternados para o Aeroporto Internacional Tom Jobim. O Aeroporto Tom Jobim, na Ilha do Governador, operava por instrumentos desde às 4h30, também devido às chuvas. No Tom Jobim, dos 22 vôos previstos, um foi cancelado e três apresentavam atrasos de mais de uma hora. Em São Paulo, o Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, as operações começaram às 6 horas com o auxílio de instrumentos devido à baixa visibilidade. Depois de uma segunda-feira com intenso movimento e mais da metade de vôos atrasados, a movimentação de passageiros estava normalizada nesta manhã. Segundo a Infraero, apenas um vôo tinha atraso de mais de uma hora e outro estava cancelados. Até às 7 horas, 25 vôos estavam programados para o aeroporto. Já no Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, do total de 35 vôos previstos, dois foram cancelados e oito registravam atrasos de mais de uma hora.

Tudo o que sabemos sobre:
aeroportoschuvavôs atrasados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.