Ciclo de vida humano surgiu recentemente, sugere estudo

Seres humanos têm um período de geração mais longo que qualquer outro hominídeo, levam o dobro do tempo para atingir a maturidade sexual em comparação com gorilas e chimpanzés, têm uma expectativa de vida maior e um período de gestação mais longo que o de qualquer outro hominídeo. Cientistas acreditam que essas características especiais do ciclo de vida tiveram um papel importante na definição daquilo que nos faz humanos. Um estudo recente indica que elas podem ter surgido há bem pouco tempo na história da evolução da espécie: 1 milhão de nãos atrás.Artigo publicado nesta semana no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) compara a taxa de mutações acumuladas no genoma humano à de outros hominídeos. Como o ser humano leva mais tempo para se reproduzir, espera-se que a acumulação de mudanças genéticas seja mais lenta, já que o homem produz menos gerações que os outros primatas, num mesmo intervalo de tempo. Esse acúmulo de mudanças pode ser visto como um " relógio molecular".A pesquisa comparou os "relógios" da espécie humana com a de chimpanzés, gorilas, babuínos e orangotangos. O relógio biológico humano é 11% mais lento que o dos gorilas. Chimpanzés também têm relógios relativamente "atrasados": são 8% mais lentos que o dos gorilas, ficando, portanto, bem próximo do relógio humano.A similaridade entre o ritmo do relógio humano com o dos chimpanzés, a despeito da diferença entre os tempos de geração das duas espécies - 20 anos, em média, para o ser humano contemporâneo, e 15 anos para os chimpanzés - levou a equipe responsável pelo artigo publicado na PNAS a especular que os ancestrais dos seres humanos tinham um ciclo de vida muito parecido com os dos demais hominídeos, e que as características humanas específicas teriam surgido há cerca de 1 milhão de anos.

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2006 | 12h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.