Ciclone mata 10 mil em apenas uma cidade de Myanmar

Os países de todo o mundo prometeramajudar Myanmar depois de um ciclone matar 10 mil pessoas emapenas uma cidade, sugerindo que a contagem de mortos pode sermuito maior no país asiático, governado por uma junta militar. "Na divisão de Irrawaddy a contagem de mortos chega a maisde 10 mil", disse na manhã da terça-feira (horário local) umatransmissão da Myanmar TV. "Os desaparecidos são cerca de 3mil. Em Bogalay, a contagem de mortos é de cerca de 10.000". Na maior cidade do país, Yangon, as pessoas faziam filaspara compartilhar água quente e ainda não havia eletricidadequatro dias depois de o violento ciclone Nargis atingir o deltado Irrawaddy, local de plantações de arroz em um país com 53milhões de habitantes. "Os geradores estão vendendo muito bem sob os generais",disse um homem que esperava do lado de fora de uma loja,refletindo parte do ressentimento nas ruas ao que muitosdescreveram como uma resposta lenta ao ciclone com ventos de190 quilômetros por hora. Poucos soldados eram vistos limpando os destroços eremovendo árvores, exceto em estradas importantes, disseramresidentes da antiga capital do país. Monges e residentes,usando as ferramentas disponíveis, derrubavam árvores. "O regime perdeu uma oportunidade de ouro de enviar ossoldados assim que a tempestade começou", disse um funcionáriopúblico. As autoridades de Myanmar, depois de uma contagem inicialde apenas algumas centenas de mortos, anunciou contagensdramaticamente mais altas na segunda-feira, em reuniões comagências de auxílio internacionais e diplomatas. "A mensagem básica foi que eles acreditam que uma contagemde mortos provisória era de cerca de 10 mil mortos com três mildesaparecidos", disse um diplomata baseado em Yangon à Reuters,após um encontro com o ministro do Exterior, Nyan Win, antes dorelato de 10 mil mortos em uma cidade apenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.