Cidade se adapta para evitar caos no trânsito

Prefeitura do Rio

RIO, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2012 | 03h07

pretende incentivar

uso de bicicletas,

oferecer mais ônibus e

decretar feriados

Com oferta reduzida de metrô e obras que atrapalham o fluxo, a prefeitura do Rio se mobiliza para evitar um grande caos no trânsito durante a conferência.

O prefeito Eduardo Paes acatou pedido do governo federal e enviará à Camara Municipal um projeto de lei para decretar feriado nos três últimos dias da Rio+20, que será realizada de 13 a 22 de junho. Segundo Paes, a medida será votada em regime de urgência.

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, haverá oferta adicional de ônibus. Serão criadas três novas linhas e uma outra será reforçada. Os 61 veículos remanejados para esses trechos operarão com tarifas entre R$ 5,40 e R$ 12.

Quase a metade da frota será destinada ao trecho entre Taquara e Castelo, na zona oeste, passando pela orla da cidade e pelo Riocentro. Os principais hotéis à beira-mar em Copacabana, Ipanema, Leblon (zona sul) e na Barra (zona oeste) serão pontos de parada dessas linhas.

"Durante os grandes eventos na cidade, a prefeitura vem adotando a tática de não permitir a ida de carro até os locais onde eles ocorrem, para que haja uma priorização do sistema de transporte sustentável sobre o automóvel", disse o subsecretário municipal de Meio Ambiente, Altamirando Fernandes Moraes.

Além do sistema de aluguel de bicicletas, a prefeitura estuda a viabilidade de um serviço de "bicitáxi", ou bike-taxi, comum em diversas metrópoles, especialmente em passeios turísticos. Os triciclos adaptados levam até dois passageiros e podem se tornar uma atividade bastante lucrativa no Rio de Janeiro.

Haverá também corredores com ciclovias para o deslocamento durante a conferência Um deles ligará a Quinta da Boa Vista ao Aterro do Flamengo, onde ocorrerá grande parte das atividades da Cúpula dos Povos, evento paralelo ao oficial. Estima-se que os visitantes tragam 2 mil bicicletas à cidade. / H.A.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.