Cidades do Vale do Paraíba celebram Corpus Christi

A tradição das celebrações de Corpus Christi mais uma vez marcou o feriado em algumas cidades do Vale do Paraíba, onde a comunidade se mobilizou para enfeitar as ruas com temas que lembram o Santíssimo Sacramento, representado pela comunhão.

JOÃO CARLOS DE FARIA, Agência Estado

23 Junho 2011 | 19h06

Em Caçapava, a 115 km de São Paulo, onde os tapetes e enfeites de rua já são uma tradição desde o início da década de 1960, cerca de dez mil pessoas participaram da procissão, que percorreu cerca de três quilômetros entre a igreja de São Benedito e o Santuário de Santo Antonio, passando pela igreja matriz, onde houve uma benção solene.

O Corpus Christi na cidade é considerado como uma das maiores manifestações públicas de fé. "Faz 20 anos que eu trabalho aqui e é sempre um prazer e muito compensador. Deus compensa a gente", disse um dos voluntários.

Aproximadamente duas mil pessoas enfrentaram o frio da madrugada, de quarta para quinta-feira, para preparar o trajeto por onde passou a procissão.

Segundo o diácono Adonis de Souza Pinto, que organiza o mutirão, cerca 80 toneladas de areia colorida, além de pó de serra, pó de café e outros materiais serviram para confeccionar os tapetes. Uma imagem da Santíssima Trindade, por exemplo, foi feita totalmente com macarrão.

"É uma manifestação pública da fé, pois nós cremos que o mesmo Jesus, que esteve presente na terra há dois mil anos, está misteriosamente presente nesse sacramento", disse o diácono. O tema desse ano foi "Eucaristia e a Nova Criação".

Outras cidades do Vale do Paraíba, como Paraibuna, Jambeiro, São Luiz do Paraitinga e Cunha festejaram o Corpus Cristhi com as ruas enfeitadas e procissões no final da tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.