Cidades em todo o mundo apagam as luzes na 'Hora do Planeta'

Campanha criada por ONG quer conscientizar população sobre mudanças climáticas e uso de combustíveis fósseis

BBC Brasil, BBC

31 Março 2012 | 21h06

Texto atualizado às 21h27

 

Cidades em todo o mundo desligaram suas luzes durante uma hora neste sábado durante a "Hora do Planeta". O evento, criado pela ONG ambientalista WWF, acontece às 20h30, no horário local de cada país. Na Austrália, onde a campanha contra a poluição causada por combustíveis fósseis foi concebida, o famoso porto da cidade de Sydney ficou no escuro.

 

Veja também:

linkBrasil é 10º maior consumidor mundial de energia elétrica

mais imagens GALERIA: A 'Hora do Planeta' pelo mundo

forum PARTICIPE: Envie a sua foto do 'blecaute'

 

De acordo com os organizadores, o evento já quebrou recordes de adesão no sudeste da Ásia. Na China, monumentos como a Grande Muralha e o estádio Ninho de Pássaro, criado para as Olimpíadas de Pequim em 2008, tiveram as luzes apagadas. Segundo a embaixada dos Estados Unidos em Seul, na Coreia do Sul, mais de 74 mil edifícios apagaram suas luzes. Em 2011, mais de 5 mil cidades participaram da campanha, criada em 2007 pela WWF. Este ano, Líbia e Iraque também se juntarão ao evento.

O correspondente da BBC em Sydney, Phil Mercer, diz que astronautas da Estação Espacial Internacional afirmaram que também apagarão suas luzes durante uma hora. Segundo a WWF, 131 cidades brasileiras aderiram oficialmente ao evento em 2012, incluindo 27 capitais.

Mensagens de apoio

Horas antes, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, fez um comunicado aos participantes da campanha em todo o mundo, dizendo que a "Hora do Planeta" é "uma oportunidade para mostrar comprometimento e um momento de reflexão sobre o planeta. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou em um comunicado em vídeo que a ONU participará do evento e que "desligar as luzes é um símbole de compromisso com a energia sustentável para todos".

Ele também pediu a adesão de governos e organizações. "Precisamos alimentar nosso futuro com energia limpa, eficiente e acessível. Agindo juntos, podemos criar uma futuro mais brilhante", disse. Em seu perfil no Twitter, o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela também manifestou apoio à campanha.

Críticos dizem que a campanha é ineficiente contra o uso de combustíveis fósseis, já que concentra seus esforços em uma ação pontual. A WWF, no entanto, diz que a "Hora do Planeta" é um ato simbólico de ajuda à reflexão e à conscientização sobre as mudanças climáticas.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
top hora do planeta cidades mundo energia luzes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.