Cientista do governo dos EUA acusado de conflito de interesse

Procuradores federais dos Estados Unidos acusaram um importante pesquisador do mal de Alzheimer, que trabalha para o governo, de envolvimento em conflito criminosos de interesses, por receber US$ 285 mil como consultor de uma empresa do setor farmacêutico.O médico Trey Sunderland está sendo acusado de oferecer consultoria à Pfizer que conflita, de modo impróprio, com seus deveres de funcionário público. O processo pode levar a pena de um ano de prisão e a uma multa de US$ 100 mil. Os procuradores apresentaram apenas uma acusação, em vez de um indiciamento formal, o que sinaliza a possibilidade de um acordo entre o réu e as autoridades.Documentos apresentados ao tribunal informam que Sunderland não obteve autorização adequada dos Institutos nacionais de Saúde (NIH) para atuar como consultor, e não prestou contas adequadamente dos US$ 285 mil pagos pela Pfizer por trabalhos que "relacionam-se diretamente" com suas responsabilidades de servidor federal.

Agencia Estado,

04 de dezembro de 2006 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.