Cientista sul-coreano confessa fraude com células-tronco

Um cientista sul-coreano, cujas pesquisas com clonagem e células-tronco foram desacreditadas, reconheceu na Justiça ter ordenado a funcionários que falsificassem dados para publicação em uma revista científica, mas insiste que não é o único culpado pelo escândalo.Hwang Woo-suk, que reivindicou avanços importantes na tecnologia de células-tronco sem realmente tê-los obtido, testemunhou na segunda audiência do julgamento em que é acusado de aceitar verbas sob falso pretexto, desfalque e violar leis de bioética. Para um artigo publicado em 2005 na revista Science, Hwang reconheceu ter instruído seus pesquisadores a simular resultados baseados em 11 linhas de células-tronco embrionárias, em vez das duas linhas que realmente estavam sendo usadas.Mas ele disse que a culpa também cabe aos outros. "Eu estava definitivamente errado", disse Hwang. "Não pretendo escapar da responsabilidade geral. Mas não concordo com a idéia de que toda a responsabilidade deveria ser minha, como um dos mais de 30 autores" do estudo. Mesmo as duas linhas de Hwang disse terem sido usadas por sua equipe mostraram-se falsas. Eram compostas de células-tronco comuns, derivadas de óvulos fertilizados, e não de embriões clonados. Promotores concluíram que um assistente da equipe de Hwang levou as células comuns ao laboratório e mentiu, dizendo que eram clonadas. Esse assistente também está sendo acusado.

Agencia Estado,

04 de julho de 2006 | 17h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.