Cientistas descobrem nova propriedade do elétron

Pesquisadores fizeram uma nova descoberta sobre uma partícula exótica, o soliton, formado por um elétron cercado por outras partículas, os fónons. Do mesmo modo que o fóton é uma partícula de luz, o fónon é uma partícula de energia vibratória, como o som, explica Ju Li, da Universidade Estadual de Ohio. Desde os anos 80, cientistas sabem que os solitons podem transferir carga elétrica ao viajar por certos polímeros orgânicos. Um novo estudo sugere que os solitons têm complexas estruturas internas. No futuro, poderá ser possível usar essa informação para utilizar as partículas em aparelhos eletrônicos moleculares ou em músculos artificiais, diz Li.O trabalho mais recente indica que o elétron dentro do soliton pode assumir diferentes estados de energia, como os elétrons em átomos comuns. "Sabíamos que essas estruturas eletrônicas internas existiam em todos os átomos, mas esta é a primeira vez em que se demonstra a existência em solitons", disse o cientista.As propriedade quânticas do soliton, como os níveis de energia recém-descobertos, são importantes porque afetam o modo como a partícula carrega carga por material orgânico, como polímeros condutores. Li e colaboradores publicam suas descobertas numa edição recente do periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).O nome "soliton" é uma abreviação de "onda solitária". Cientistas freqüentemente tratam partículas como se fossem ondas, mas ondas soliton são diferentes. Ondas de elétron normalmente se espalham e perdem intensidade com o tempo, mas ondas soliton, não.Em fibras ópticas, ondas de luz normais vão enfraquecendo, a menos que o sinal seja reforçado periodicamente. Em contraste, ondas de luz solitárias preservam a estrutura e prosseguem sem ajuda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.