Cientistas europeus criam e armazenam átomos de antimatéria pela primeira vez

FÍSICA

, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2010 | 00h00

Pela primeira vez, cientistas do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares, o Cern, conseguiram não só produzir como estocar e liberar, de forma controlada, átomos de anti-hidrogênio, a versão em antimatéria (ou seja, com a carga elétrica oposta) dos átomos de hidrogênio, os mais simples encontrados na natureza. Publicado antecipadamente no site da revista Nature, o artigo da equipe do dinamarquês Jeffrey Hangst descreve a tecnologia usada para criar e aprisionar por 170 milissegundos pelo menos 38 átomos desse "hidrogênio negativo". O estudo deve ajudar a explicar a predominância de matéria no universo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.