Cientistas italianos exumam Farinelli, o cantor castrado

Cientistas exumaram o cadáver do lendário cantor de ópera do século 18, Farinelli, para aprender mais sobre os "castrati", cantores que eram castrados na infância para preservar a voz aguda. Farinelli foi o mais popular e bem pago cantor de ópera da Europa até sua morte, em 1782. Seus restos mortais foram exumados do cemitério Certosa, em Bolonha, na quarta-feira, informa o musicólogo Carlo Vitali, fundador do Centro de Estudos Farinelli.Os ossos serão examinados por pesquisadores das universidades de Bolonha e Pisa, em busca de pistas sobre o estilo de vida, os hábitos e doenças do cantor, bem como da fisiologia de um castrado.Os responsáveis pela exumação encontraram não apenas os ossos de Farinelli, mas também os de sua sobrinha-neta, Carlotta Pisani Broschi. "Quando Carlotta morreu em 1850, o túmulo foi reaberto e os ossos de Farinelli foram empilhados na base da tumba, para abrir espaço", disse Vitali. O empilhamento comprometeu a preservação dos restos, que incluem a mandíbula, dentes e os ossos maiores do corpo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.