Cientistas querem vender coqueiro raro por US$ 1 milhão

Palmeira tem três galhos; pesquisadores ainda não encontraram um comprador.

John James, BBC

30 de abril de 2008 | 15h15

Cientistas da Costa do Marfim estão tentando vender um coqueiro com três galhos por US$ 1 milhão, mas ainda não encontraram um comprador.A maior parte dos coqueiros tem apenas um tronco. "É uma curiosidade botânica rara", diz o pesquisador Roland Bourdeix, que trabalha para a estação de pesquisa de coqueiros Marc Delorne."Nós temos 150 mil coqueiros na nossa plantação, e apenas este tem três galhos", acrescenta Bourdeix.Segundo os pesquisadores, a formação de mais galhos é normalmente resultado de um ataque por insetos, mas, nesse caso, não há sinal de danos, o que significa que a formação dos galhos pode ser genética.A palmeira foi importada da Malásia há cerca de 40 anos."Nós vamos multiplicar o coqueiro cerca de 150 vezes para ver se conseguimos reproduzir palmeiras semelhantes", afirmou Bourdeix.O experimento pode levar até 20 anos.MudançaBourdeix afirma que não seria um problema deslocar a palmeira para a casa de um eventual comprador."No ano passado, eu estava na Polinésia Francesa e vi algumas pessoas levando coqueiros bem altos para suas ilhas particulares, então eu acho que é possível", afirmou o pesquisador. "Não é fácil, mas é possível."A árvore está à venda para levantar fundos para o centro de pesquisa.A estação de pesquisa Marc Delorne, fundada em 1949, é um dos mais importantes centros do tipo no mundo, mas enfrentou dificuldades durante a guerra civil no país."Precisamos de dinheiro", diz o pesquisador Jean-Louis Konan. "Nós realizamos muitas atividades de pesquisa e fornecemos plantas para agricultores para desenvolver a plantação de coqueiros ao redor do mundo."O coqueiro de três galhos produz mais de 150 cocos grandes ao ano, comparados com cerca de 30 a 80 pelas palmeiras comuns.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
coqueiro costa do marfim venda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.