Cientistas tentam criar ´poeira´ para explorar planetas

Cientistas britânicos estão tentando desenvolver pequenos dispositivos inteligentes que possam ser carregados, como poeira, pelo vento, para explorar outros planetas. Os dispositivos seriam levados por foguetes ao espaço, e liberados na atmosfera dos planetas, onde seriam levados pelo vento.A ?poeira inteligente?, como vem sendo chamada, consistiria de um chip de computador com um revestimento plástico que poderia mudar de forma, dependendo da voltagem aplicada. O revestimento poderia ser encurtado ou esticado. Com isso, os cientistas poderiam guiar o dispositivo em direção a um alvo, mesmo sob fortes ventos.Para explorar um planeta com as condições atmosféricas como as de Marte, cada dispositivo teria que ser do tamanho de um grão de areia.A idéia de usar dispositivos microscópicos para explorar locais distantes não é nova, mas a equipe da Universidade de Glasgow está começando a procurar formas de viabilizar sua produção.Agrupamentos Segundo o professor do Centro de Pesquisa em Nanoeletrônicos, John Barker, redes de internet sem fio poderão permitir que os dispositivos formem agrupamentos. Isso permitiria o compartilhamento e a distribuição de informações, que seriam então enviadas de volta a uma nave-mãe. ?Nossas simulações mostraram que um grupo de 50 partículas pode se organizar em forma de estrela, até mesmo sob fortes ventos?, disse.Segundo ele, chips de computador com o tamanho e a sofisticação necessários para essa tarefa já existem. Mas as partículas para a exploração planetária precisariam carregar sensores. O problema é que os sensores químicos que existem hoje em dia são grandes demais para serem levados em partículas tão pequenas.Os cientistas esperam que a velocidade das pesquisas de miniaturização disponibilize sensores menores já nas próximas décadas.?Nós ainda estamos em estágios muito iniciais, trabalhando em simulações e componentes?, disse Barker. ?Nós temos muitos obstáculos para ultrapassar antes de estarmos prontos para testar nossos projetos.? Além da exploração espacial, a ?poeira inteligente? também poderia ter outras funções, como reunir informações em campos de batalha. Outra idéia é misturar as partículas a cimento para monitorar as condições de construções como prédios e pontes.Os detalhes do projeto foram apresentados no Encontro Nacional britânico de Astronomia, na cidade de Preston.

Agencia Estado,

18 de abril de 2007 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.