Cientistas tentam criar tecido para ´remendar coração´

Cientistas da Universidade de Dundee, na Escócia, estão desenvolvendo ?tecido cardíaco? para tratar de doenças no coração. A equipe já conseguiu criar em laboratório um tubo de tecido cardíaco usando células de ratos recém-nascidos. Os especialistas agora buscam meios de desenvolver as emendas de tecido cardíaco em laboratório, usando músculos do esqueleto ou células-tronco. Keith Baar, que lidera as pesquisas, disse que a técnica poderia ser usada no tratamento de quem sofreu ataques cardíacos.Atividades diárias Segundo ele, "em vez de esperar que alguém que tenha células compatíveis com as suas, nós podemos retirar um pouco de tecido do paciente e criar um remendo em laboratório que seria, essencialmente, do mesmo material genético, e usá-lo no paciente"."Os pacientes não rejeitariam o tecido, já que seria de seu próprio coração." A emenda ajudaria o paciente na recuperação do tecido danificado, permitindo que ele, provavelmente, possa voltar à vida normal.As pequenas emendas de 0,1 mm de diâmetro foram desenvolvidas para bater do mesmo modo que um coração humano, disse Baar. O tecido também reage a estimulantes como a adrenalina, do mesmo jeito que o coração reagiria. Japoneses Pesquisadores japoneses já conseguiram produzir e implantar com sucesso uma emenda de músculo de esqueleto em animais. Os cientistas escoceses pensam em transformar células-tronco da medula óssea em células cardíacas, para criar uma emenda mais eficiente."Nós estamos tentando colocar camadas de células umas sobre as outras, então, quando houver um ataque cardíaco, a área de células mortas pode ser substituída, ou coberta por uma dessas emendas."Os cientistas esperam testar o tecido em animais dentro de cinco anos e depois disso começar testes em humanos.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2006 | 12h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.