Cigarros nos EUA têm cada vez mais nicotina, diz relatório

O nível de nicotina encontrado nos cigarros dos Estados Unidos subiu 10% nos últimos seis anos, o que torna mais difícil para os fumantes largar o hábito e mais fácil para os novatos adquirir o vício, de acordo com relatório divulgado pelo Departamento de Saúde do Estado de Massachusetts. O estudo mostra uma elevação consistente da nicotina transmitida aos pulmões do fumante, a despeito das diferenças de marca, com o rendimento geral da droga subindo cerca de 10%.Massachusetts é um dos três Estados americanos e exigir que as empresas fabricantes de cigarro forneçam informações sobre o conteúdo de nicotina, e o único com dados reunidos desde 1998. O comissário de Saúde Pública Paul Cote Jr. referiu-se às descobertas como "significativas".Segundo o trabalho, as marcas mais populares entre os jovens - Marlboro, Newport e Camel - transferem muito mais nicotina ao organismo hoje do que anos atrás. Kool, uma marca de cigarro mentolado, teve acréscimo de 20%. Tentativas da Associated Press de ouvir as indústrias Philip Morris e R.J. Reynolds não tiveram sucesso.O estudo buscou medir os níveis de nicotina simulando o modo como os fumantes realmente usam o cigarro, disseram as autoridades sanitárias, incluindo o uso de tragadas mais longas. Testes tradicionais, que não levam em conta o jeito de fumar, geralmente informam níveis de nicotina menores.Fumantes que escolhem marcas "light" na tentativa de reduzir o consumo de nicotina estão sem sorte, de acordo com o relatório: em todas as marcas testadas em 1998 e 2004, não foi encontrada diferença no total de nicotina entre as versões "full", "medium", "light" e "ultra-light".

Agencia Estado,

30 de agosto de 2006 | 14h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.