Cinco bebês morrem em UTI neonatal de Cuiabá

Cinco recém-nascidos morreram em menos de 15 dias nas UTIs neonatal e pediátrica do Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, em Mato Grosso. Os bebês foram vítimas de infecção generalizada causada por bactéria.

Fátima Lessa, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2010 | 00h00

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as UTIs passam por processo de desinfecção e o atendimento foi reduzido durante 48 horas, período necessário para que os produtos utilizados façam efeito, mas não houve interdição das unidades.

O secretário adjunto da Saúde, o pediatra Euze Carvalho, informou que as duas primeiras mortes foram causadas por bactérias Estafilococo. Segundo Carvalho, os primeiros estudos não indicaram infecção hospitalar e, por isso, as unidades continuam funcionando.

A secretaria ainda aguarda o resultado dos exames para verificar se as outras três mortes, que aconteceram em menos de três dias, foram causadas pela mesma bactéria. "Há necessidade de mais tempo de investigação. Se precisarmos de contraprova, teremos de enviar o material para análise fora do Estado", disse.

O secretário de Saúde afirmou que os bebês que morreram não haviam nascido em Cuiabá. Eles teriam sido transportados de outras unidades hospitalares e, segundo Carvalho, alguns deles chegaram ao pronto-socorro já recebendo antibiótico.

Investigação paralela. O presidente do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT), Arlan Azevedo, informou por meio de sua assessoria que a entidade investigará as mortes das cinco crianças.

Nos últimos meses, o órgão teria recebido denúncias que indicariam a precariedade do sistema de saúde local. Haveria falta de equipamentos médicos e de material hospitalar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.