Cinco morrem no Marrocos após protestos

Cinco corpos foram encontrados dentro de um banco incendiado no Marrocos, em meio a uma série de manifestações por todo o país exigindo mudanças, informou nesta segunda-feira o Ministério do Interior.

REUTERS

21 de fevereiro de 2011 | 15h11

Cerca de 128 pessoas, a maioria autoridades de segurança, ficaram feridas e 120 pessoas foram presas durante um tumulto no domingo, depois que protestos atraíram cerca de 37 mil marroquinos em dezenas de cidades e vilarejos, segundo o ministro do Interior, Taib Cherkaoui.

Manifestantes exigiam que o rei Mohammed abdicasse de alguns de seus poderes, a demissão do gabinete, e o fim da corrupção.

Cherkaoui disse em coletiva de imprensa que as manifestações foram pacíficas, mas minorias e baderneiros haviam realizado atos de vandalismo em Marrakech, Tanger, Sefrou e em outras cidades.

Os corpos carbonizados foram encontrados dentro um banco na cidade de Hoceima, no norte do país. Cherkaoui disse que lojas, instituições públicas, bancos e carros foram danificados e diversas cidade foram danificados pelos tumultos.

As manifestações de domingo foram as maiores no Marrocos desde que insurgências no Egito e na Tunísia derrubaram seus presidentes de longa data e provocaram uma onda de protestos pelo mundo árabe.

(Reportagem de Zakia Abdennebi)

Tudo o que sabemos sobre:
MARROCOSPROTESTOSCINCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.