Cinzas ainda prejudicam voos para Argentina e Uruguai

Por conta de um novo avanço da nuvem de cinzas do vulcão chileno Puyehue, as empresas aéreas Gol, TAM e Pluna estão nesta manhã com o cronograma de voos prejudicado para a Argentina e o Uruguai.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

14 Junho 2011 | 09h35

As operações da Gol com origem e destino nas cidades de Buenos Aires e Rosário, na Argentina, e Montevidéu, no Uruguai, permanecem suspensas. A companhia está contanto os clientes que tiveram a programação alterada via telefone, SMS e e-mail. A Gol destaca que os passageiros podem ajudar a agilizar esse processo, telefonando para a Central de Relacionamento nos números 0300 115 2121, no Brasil, 0810 266 3232, na Argentina, e 5098 2403 8007, no Uruguai.

A TAM informou que os voos de e para Montevidéu nos períodos da manhã e da tarde de hoje foram retomados. Devido à movimentação de uma nova nuvem de cinzas do vulcão chileno, as operações nos aeroportos de Buenos Aires permanecem suspensas. A medida é necessária para garantir a segurança de clientes e tripulantes.

A empresa pede que seus clientes liguem para a Central de Atendimento da companhia, nos telefones 4002 5700 (capitais) e 0800 570 5700 (demais localidades), antes de se dirigir ao aeroporto. Passageiros que estão fora do País podem ligar para os seguintes telefones: 0810 333 3333, na Argentina, 56 2 6767 900, no Chile, 595 21 659 5000, no Paraguai, e 000 4019 0223, no Uruguai.

A Pluna informou que parte de seus voos está afetada. Segundo a assessoria da companhia, o voo 231, no qual a delegação do Santos deve embarcar rumo a Montevidéu, para a primeira partida das finais da Taça Libertadores da América, está confirmado. De acordo com a empresa, por volta das 9 horas, a delegação estava no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, prestes para embarcar. As partidas para Buenos Aires seguem canceladas.

Segundo boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), dos 48 voos internacionais previstos até as 9 horas, 3 (6,3%) registraram atrasos superiores a 30 minutos e 8 (16,7%) foram cancelados. A nuvem de cinza vulcânica chegou no final da tarde de ontem a Bagé, Pelotas e parte da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul. A previsão é de que a nuvem se disperse, segundo a Força Aérea Brasileira (FAB).

Mais conteúdo sobre:
vulcãoChileArgentinaBrasilvoos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.