Cinzas de Chico Anysio serão espalhadas pelo Projac, da Globo

Parentes e amigos de Chico Anysio participaram da cerimônia de cremação do corpo do humorista, no início da tarde de ontem, no Crematório da Santa Casa da Misericórdia do Rio, no Caju, zona portuária da cidade.

RIO, O Estado de S.Paulo

26 Março 2012 | 03h05

Estiveram presentes a viúva, Malga Di Paula, a ex-ministra Zélia Cardoso de Mello, acompanhada pelos dois filhos que teve com o comediante, os filhos Nizo Neto e Bruno Mazzeo, entre outros familiares.

Malga disse que pretende fundar o Instituto Chico Anysio, que dará apoio a pesquisas sobre doenças pulmonares. O humorista morreu de uma falência múltipla dos órgãos, em decorrência de enfisema pulmonar.

Emocionado , o ator Bruno Mazzeo agradeceu o apoio do público - no sábado, cerca de 5 mil pessoas compareceram ao velório no Theatro Municipal. "Só tenho que agradecer ao povo pelo carinho. Meu pai foi uma pessoa que dedicou 65 anos a alegrar o povo", afirmou.

O artista pediu em testamento que parte de suas cinzas fosse para a cidade cearense de Maranguape, onde nasceu, e que o restante fosse espalhado pelo Projac, onde funcionam os estúdios da TV Globo. /DANIELA AMORIM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.