Cinzas de vulcão chileno interrompem voos na Austrália

A nuvem de cinzas proveniente de um complexo vulcânico no Chile provocou o caos na aviação australiana e levou a principal companhia aérea do país, a Qantas, a cancelar voos de e para o principal aeroporto da Austrália na terça e na quarta-feira.

REUTERS

21 Junho 2011 | 11h06

A empresa Virgin Australia também cancelou nesta terça-feira voos domésticos de e para Sydney e outras importantes cidades do país.

A porta-voz da Qantas, Olivia Wirth, disse que permaneceriam em solo durante toda a quarta-feira os aviões que fariam trajetos tendo como ponto de partida ou destino os aeroportos de Sydney, Melbourne e da capital, Canberra.

Segundo Wirth, os cancelamentos afetariam mais de 200 voos e cerca de 20 mil passageiros por dia. Os voos internacionais esperados em Sydney nesta terça-feira à noite seriam desviados para a cidade de Brisbane, declarou.

"Nós, de fato, esperamos novos atrasos nas próximas 24 a 48 horas", disse Wirth a repórteres, acrescentando que a Qantas recebe a cada três horas informações atualizadas sobre a nuvem de cinzas.

As cinzas lançadas pelo complexo vulcânico de Puyehue-Cordón Caulle, que entrou em erupção no dia 4 de junho, depois de décadas inativo, forçou o cancelamento de centenas de voos nas últimas semanas por causa do risco potencial de a cinza danificar os motores dos jatos.

O impacto foi sentido especialmente na Argentina e Uruguai, mas também prejudicou os vôos na Nova Zelândia, Austrália e Brasil. Na América do Sul, no entanto, a situação já foi normalizada.

A nuvem afetou pela primeira vez os voos entre a Nova Zelândia e a Austrália há dez dias, o que levou ao cancelamento de várias viagens.

PREVISÃO DE MELHORA

Na manhã desta terça-feira, a Qantas informou ter desviado voos procedentes de Johanesburgo e Cingapura para Brisbane, retardado dois outros vindos de Los Angeles e cancelado seis entre a Austrália e a Nova Zelândia. O aeroporto de Sydney informou ter cancelado voos para o Havaí e Bali, na Indonésia.

A Qantas também adiou dois voos para Londres e um para Frankfurt, disse outro porta-voz.

O órgão australiano que monitora as cinzas informou que a nuvem percorreu mais de 4 mil quilômetros em 24 horas e fortes ventos a tinham conduzido em direção ao sudeste da Austrália, mas a previsão era que o céu estaria limpo na até a noite de quarta-feira.

(Reportagem de Sonali Paul e James Grubel em Canberra)

Mais conteúdo sobre:
AUSTRALIA VULCAO VOOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.