Cinzas se dispersam e voos na A. Sul começam a ser retomados

A situação dos voos internacionais brasileiros melhorou nesta quarta-feira depois que dezenas de decolagens para a América do Sul foram canceladas na véspera pelas cinzas expelidas por um vulcão no Chile.

REUTERS

08 Junho 2011 | 08h20

Segundo dados da empresa que administra os aeroportos do brasileiros, Infraero, apenas 5 de 28 voos internacionais tinham sido cancelados até às 8h, percentual de 17,9 por cento ante índice de cerca de 40 por cento na terça-feira.

O complexo vulcânico Puyehue-Cordón Caulle, no sul do Chile, entrou em erupção no sábado passado. A nuvem vulcânica, que atingiu uma altura de 12 quilômetros na direção sudoeste-noroeste, chegou à capital Buenos Aires na terça-feira, fechando aeroportos argentinos e afetando operações no Chile, Uruguai, Paraguai e Brasil.

Em nota divulgada no final da terça-feira, a companhia aérea TAM afirmou que a previsão era de que "os voos operem normalmente amanhã (quarta-feira) nos aeroportos de Buenos Aires (Argentina); Assunção e Ciudad del Este (Paraguai); Santiago (Chile) e Foz do Iguaçu (PR)". A companhia programou voos extras para transportar passageiros afetados pelos cancelamentos.

Também no final da terça-feira, as principais companhias aéreas que operam na Argentina começaram a retomar gradativamente serviços domésticos e internacionais com a dissipação da nuvem de cinzas.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Mais conteúdo sobre:
AEREAS VULCAO CEUMELHORA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.