Cinzas voltam a afetar voos no Brasil, Chile e Argentina

As cinzas do vulcão chileno Puyehue voltaram a atingir o espaço aéreo argentino na sexta-feira, dia 24. Na manhã deste sábado, dia 25, algumas companhias permaneciam com a operação suspensa nos aeroportos do país.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

25 Junho 2011 | 12h46

Segundo nota divulgada ontem pela Administração Nacional de Aviação Civil da Argentina(Anac), a visibilidade estava reduzida e as operações seriam afetadas no aeroporto metropolitano Jorge Newberry e no aeroporto internacional de Ezeiza. Neste sábado, não havia sido divulgado novo boletim até as 12h.

De acordo com boletim divulgado pela Aerolíneas Argentinas, as operações regionais e domésticas do aeroporto Jorge Newbery estariam canceladas até às 11 horas. A partir desse horário a decisão sobre a retomada dos voos dependeria dos informes meteorológicos emitidos pelo Serviço Meteorológico Nacional e a Administração Nacional de Aviação Civil da Argentina. Por volta das 12h a companhia ainda não havia emitido novo comunicado.

A LAN informou que cancelou todos os seus voos para Buenos Aires na noite de ontem. Além disso, alguns destinos domésticos na Argentina (Bariloche, Neuquén e Comodoro Rivadavia) e voos para Sydney com escala em Auckland continuam sendo afetados pela presença de cinzas.

No Brasil, segundo a Infraero, nove partidas internacionais haviam sido canceladas até as 12h no País, sendo quatro em Guarulhos (SP), três no Galeão (RJ), uma em Porto Alegre (RS) e uma em Campinas (SP). Em Guarulhos, até as 12h, das quatro canceladas, dois voos eram da Aerolíneas para Buenos Aires.

As companhias brasileiras TAM e Gol não emitiram nenhum comunicado sobre cancelamentos e não foram localizadas pela reportagem na manhã deste sábado.

Mais conteúdo sobre:
vulcãocinzasvoos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.