Cinzas vulcânicas atrapalham voos em Porto Alegre

As cinzas do vulcão chileno Puyehue-Cordón Caulle chegaram ao Rio Grande do Sul e provocaram o cancelamento de 42 voos com origem ou destino no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, durante a tarde de hoje. A nuvem foi visível na capital gaúcha e região metropolitana, na serra do nordeste e no litoral norte do Estado durante boa parte do dia. Moradores de cidades como Canela, Gramado, Canoas, Osório e Xangri-Lá viram finas camadas de fuligem sobre seus automóveis, casas e terrenos.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

18 Outubro 2011 | 19h38

O Aeroporto Salgado Filho não interrompeu suas atividades, mas operou por instrumentos durante boa parte do dia, sobretudo quando a visibilidade horizontal caiu de dez mil para cinco mil metros. Mesmo assim, algumas companhias, entre elas a TAM e a Azul, optaram por cancelar seus voos durante a maior parte da tarde. A Gol manteve suas operações.

Levantamento da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) mostrou que entre a 0h e às 18 horas de hoje, 21 saídas e 21 chegadas foram canceladas. No início da noite, todas as companhias estavam confirmando seus voos. Segundo a Metsul Meteorologia, a nuvem de cinza foi percebida também no litoral de Santa Catarina e deve permanecer no Sul do Brasil amanhã.

Mais conteúdo sobre:
cancelamentovooRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.