Circuito das Águas vive desafio da estiagem

A estiagem está acabando com o principal atrativo das estâncias do Circuito das Águas Paulista, na região de Campinas. Das seis cidades famosas pelas águas minerais, em cinco há fontes secas ou com vazão reduzida. Guardas controlam a retirada de água. Balneários que atraem visitantes de todo o País fecharam ou reduziram o horário de funcionamento. O número de turistas caiu 30%.

JOSÉ MARIA TOMAZELA E CAMILA ANCONA, ESPECIAL PARA A AE, Estadão Conteúdo

02 Novembro 2014 | 08h47

Em Águas de Lindoia, a prefeitura decretou estado de emergência. A Represa do Cavalinho Branco, atração turística e responsável pelo abastecimento de 70% da cidade, secou. A cidade adotou racionamento: a água chega às torneiras no máximo das 18 horas à meia-noite. Quem desperdiça pode pagar multa de R$ 247,85.

A corrida às fontes naturais aumentou tanto que a administração do balneário municipal fechou duas das três bicas externas usadas pela população. Moradores fazem fila na fonte que resta. Na quinta-feira, o cobrador Humberto Soares de Oliveira encheu quatro galões. "A fonte é nosso último recurso, mas a vazão está mais fraca." As fontes internas do balneário, indicadas para moléstias dos rins e fígado, também estão com vazão menor do que a normal.

Nos 42 hotéis e pousadas, os hóspedes são avisados da crise já no check-in. "Muitos clientes vêm de cidades com problemas de abastecimento e entendem", diz Benjamin Fragale Júnior, diretor de dois hotéis.

Muitos estabelecimentos adotaram o reúso da água da lavanderia. "Estamos todos nos reeducando", disse Miguel Silveira, dono de hotel. O movimento na cidade caiu. "A lotação para este período está abaixo do esperado", disse o recepcionista Vitor Honorato. O comerciante Marco Aurélio Lambert, dono de pizzaria, estimou queda do movimento em 30%.

Aperto. Em Monte Alegre do Sul, o balneário municipal suspendeu as duchas escocesas e os banhos de imersão, considerados terapêuticos - a água contém ferro e zinco. O abastecimento da população está ameaçado. Quem for flagrado lavando carros ou calçadas pode pagar multa de R$ 500.

As fontes de Amparo operam com 20% da capacidade. Fiscais do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE) limitam a captação a 20 litros por pessoa. Em razão da alta demanda, a prefeitura ampliou até a meia-noite o horário de funcionamento da Fonte Bocaina, a mais requisitada, que fechava às 18 horas.

Três das dez fontes públicas de Serra Negra - Italianos, São Carlos e Menino Jesus de Praga - estão sem água e as piscinas públicas estão fechadas. Em Socorro, as cinco principais fontes de água estão com vazão reduzida, mas o que mais afeta o turismo é o baixo nível do Rio do Peixe. A prática do boiacross foi suspensa. O fluxo de turistas caiu 30%.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
água circuito das águas estiagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.