Circuito Genética avalia 240 animais

Avaliação é realizada simultaneamente ao julgamento de carcaças, tem regulamento próprio e não é competitiva

O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2008 | 03h25

A primeira etapa da 6ª edição do Circuito Boi Verde também marcou a primeira avaliação do Circuito Boi Verde Genética. Conforme Alves, da ACNB, a avaliação genética ocorrerá em algumas etapas do circuito, com regulamento exclusivo e sem vencedores. O objetivo é comparar progênie. "A idéia é obter dados dos animais abatidos provando a capacidade dos touros reprodutores em repassar para o rebanho comercial características de acabamento, de peso e de rendimento de carcaça."Nesta primeira etapa, o Circuito Boi Verde Genética avaliou quatro dos dez lotes participantes do Circuito Boi Verde, ou 240 animais. Os pecuaristas interessados normalmente já fazem parte de algum programa de melhoramento, e se interessam em saber o desempenho dos animais até o abate. "É uma inovação que ajudará a pecuária a dar um salto em melhoramento." Dois dos lotes avaliados foram do Grupo Santa Virgínia, com fazendas em Santa Rita do Pardo e Naviraí (MS). "É mais uma ferramenta de avaliação", diz o superintendente do grupo, Valentim Maier.SEGREDOPara ele, o segredo do melhoramento genético é justamente identificar as características do rebanho. "Não adianta investir em genética se não se sabe o que se tem." Os resultados da avaliação das carcaças com pais conhecidos do circuito ainda não foram divulgados. Maier espera que os dados ajudem a identificar seus melhores reprodutores.O pecuarista conta que o grupo começou a investir em melhoramento há apenas três anos. Mas já percebe melhora no perfil dos animais. A principal, cita, é a precocidade. A média de idade de abate, que antes era de 36 e 40 meses, hoje está entre 24 e 30 meses. O acabamento dos animais melhorou. "Percebo isso na maior freqüência das premiações que recebo dos frigoríficos que avaliam gordura."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.