Ciro diz que quer Planalto, mas foca SP

Deputado lista problemas para justificar oposição a tucano

Moacir Assunção, O Estadao de S.Paulo

09 de março de 2010 | 00h00

Embora negue que vá ser candidato ao governo de São Paulo, conforme deseja o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) tem um discurso pronto para a ocasião. Ciro, que esteve ontem no Programa do Ratinho, do SBT, enumerou as críticas que faria ao PSDB, que dirige o Estado há 16 anos, caso aceitasse a candidatura - hipótese que vê como "remotíssima".

O deputado do PSB, que é pré-candidato à Presidência, listou problemas como o trânsito em São Paulo, as enchentes e a greve dos professores para justificar a oposição ao governo de José Serra.

"Com o trânsito, o trabalhador está fazendo uma terceira jornada e isso vai piorar cada vez mais", comentou. "Com relação às enchentes, as manchetes são as mesmas de 2005 e as pessoas também são as mesmas, um exemplo é o atual secretário de Educação do governo, Paulo Renato Souza, que foi ministro da mesma pasta."

VAIVÉM

Mesmo insistindo que não vai concorrer ao governo do Estado, o deputado negou-se a descartar de vez a candidatura. "Na vida, fora a morte, tudo pode mudar", analisou. "Se eu transferi o meu título para São Paulo, deixei essa possibilidade em aberto", disse.

Até junho, Ciro promete definir a candidatura. Voltou a negar, entretanto, que o presidente Lula lhe tenha pedido para desistir do pleito presidencial. "Ele jamais faria isso", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.