Citigroup irá adquirir operações bancárias do Wachovia

O Citigroup irá comprar as operações bancárias do Wachovia em um negócio acompanhado pelo Federal Deposit Insurance Corp (FDIC), órgão governamental dos Estados Unidos. De acordo com informações do FDIC nesta segunda-feira, sob o negócio, fechado em consulta com o Federal Reserve, o Tesouro e ao presidente George W. Bush, os depositantes serão totalmente protegidos e não é esperado nenhum custo ao órgão. "O Wachovia não faliu; na verdade, o banco será adquirido pelo Citigroup (de forma aberta) com assistência por parte do FDIC", informou um comunicado no website do FDCI. O Citigroup informou que a operação irá adquirir mais de 700 bilhões de dólares de ativos de subsidiárias do Wachovia, e passivos relacionados. Segundo o Citigroup, a transação criará banco de varejo líder nos EUA, com depósitos globais de 1,3 trilhão de dólares. As ações do Wachovia caíram mais de 80 por cento nas negociações de pré-abertura, para menos de 2 dólares por ação. Logo após a abertura, as ações do Citigroup tinham valorização de 0,2 por cento. O Citigroup irá comprar as operações do Wachovia, incluindo cinco instituições de depósitos, e assumir suas dívidas sênior e subordinadas. O Wachovia continuará dono de suas unidades de corretoras, o AG Edwards, e sua divisão de administração de ativos, a Evergreen. O FDIC informou que irá dividir perdas com o Citi em alguns empréstimos do Wachovia. "O FDIC entrou em um arranjo de divisão de perdas de um conjunto de empréstimos pré-identificados", informou a agência. "Sob o acordo, o Citigroup irá absorver até 42 bilhões de dólares em perdas em um conjunto de empréstimos de 312 bilhões de dólares." "O FDIC irá absorver perdas que vão além disso. O Citigroup deu ao FDIC 12 bilhões de dólares em ações preferenciais e garantias para compensar o FDIC por aceitar o risco." (Reportagem de Christopher Kaufman, Kristina Cooke e Juan Lagorio)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.