Clássicos e modernos em festival inédito

Cinemateca Brasileira exibe até domingo boas montagens filmadas mundo afora

João Luiz Sampaio, O Estadao de S.Paulo

25 de novembro de 2009 | 00h00

A Cinemateca Brasileira abriga ao longo desta semana o projeto Ópera na Tela, série de exibições de filmes, documentários e espetáculos filmados em alguns dos principais palcos líricos do mundo. A programação teve início, há cerca de um mês, no Rio e passou desde então por Belém e Manaus.

As atrações de hoje são os documentário Toscanini por Ele Mesmo, em que um grupo de atores recria uma entrevista concedida pelo maestro no final de sua vida; Pelleas et Melisande, sobre montagem da ópera de Debussy na França; o filme Madame Butterfly, a partir da ópera de Puccini; e as montagens de Dido e Enéas, da Opéra Comique, de Paris, e de Orfeu e Eurídice, da Ópera de Paris, com direção de Pina Bausch. Ao longo da semana, outros títulos incluem a Carmen, de Franceso Rossi; o Don Giovanni, de Joseph Losey; a Valquíria filmada no Festival de Aix-en-Provence, com direção musical de Simon Rattle e execução da Filarmônica de Berlim; e a Mireille, de Gounod, que abriu a temporada 2009/2010 da Ópera de Paris - Palais Garnier.

A ideia do festival não é apenas dar acesso ao público a montagens recentes importantes. Quando estreou no Rio, o projeto trouxe ao Brasil uma série de produtores e diretores responsáveis pelas filmagens de produções - e com eles se discutiu em que medida a preocupação com o vídeo influenciou na criação de novas linguagens para a ópera. No fim das contas, o panorama ajuda na obtenção de um olhar sobre os caminhos estéticos trilhados nos últimos anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.