Clima ajuda Paraná a confirmar safra recorde de soja

Boas condições climáticas até o momento devem garantir uma safra recorde de soja no Paraná, o segundo principal Estado produtor no país, disse nesta quarta-feira o Departamento de Economia Rural, órgão de pesquisa ligado ao governo estadual.

Reuters

22 de janeiro de 2014 | 11h24

"Se continuar caminhando assim, a safra deve ser boa", afirmou o economista do Deral, Marcelo Garrido.

O levantamento mais recente da entidade aponta que 94 por cento das lavouras estão em boas condições, contra 6 por cento em condições médias e nenhuma região com condições ruins.

O Deral, cujas estimativas são referência para o mercado, deve divulgar nova projeção de safra no dia 30 de janeiro, mas Garrido adiantou que os números não devem sofrer alterações importantes.

Em dezembro, o Deral projetou a colheita paranaense da oleaginosa em um recorde de 16,46 milhões de toneladas nesta temporada 2013/14, alta de 4 por cento ante 2012/13.

"Não deve fugir muito desses números", disse Garrido.

O volume colhido no Paraná deve garantir ao Estado o segundo lugar na produção nacional, atrás apenas de Mato Grosso. O governo federal estima a safra brasileira em 90,33 milhões de toneladas.

Segundo ele, apenas algumas lavouras precoces tiveram certo prejuízo com uma estiagem de cerca de 20 dias ao longo de dezembro, mas a normalização das chuvas ao final de dezembro e em janeiro evitou grandes prejuízos.

"Nessas áreas teve redução de produtividade, ante o esperado inicialmente, mas nada que venha a afetar a região ou o Estado", disse.

Os primeiros registros de colheita de soja no Paraná ocorreram há duas semanas e, pela primeira vez nesta temporada, o relatório do Deral desta semana registra oficialmente o avanço dos trabalhos, que alcançam 1 por cento da área plantada.

Segundo Garrido, a colheita está iniciando pelo oeste do Estado, nas regiões de Toledo, Cascavel e Francisco Beltrão.

(Por Gustavo Bonato)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSSOJAPARANA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.