Clima favorece qualidade do morango

Em Atibaia e Monte Alegre do Sul dias ensolarados e clima ameno deixam frutos doces e mais vermelhos

Ana Maria H. de Ávila, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 01h41

Pouca chuva e temperaturas baixas nesta última semana. Apenas Iguape e Itapeva tiveram tempo úmido com chuvas, registrando 39 e 44 milímetros, respectivamente. Em Garça, Jaú e Sorocaba, as chuvas foram resquícios da última frente fria que passou no fim de semana anterior. As temperaturas se mantiveram baixas, sobretudo no começo da semana, com mínimas de 4 graus em Piracicaba, 6,6 graus em Ribeirão Preto, 4,2 graus em Taubaté e 6,2 graus em Sorocaba.

A demanda hídrica da atmosfera foi baixa, superando 2 milímetros apenas em Ilha Solteira, onde as temperaturas foram um pouco maiores. O total de água disponível no solo diminui na maioria das regiões analisadas e o município com situação mais crítica é São José do Rio Pardo, com déficit hídrico desde a segunda quinzena de abril, com 16% do total. Barretos, Ilha Solteira e Taubaté também têm déficit hídrico.

Safra irregular. O clima mais seco favorece a colheita do café. Os preços estão em alta porque há falta do produto no mercado, principalmente de boa qualidade. A colheita atual é de bianualidade positiva do produto, entretanto os frutos estão muito irregulares, na maioria das regiões. Houve várias floradas por causa das chuvas em excesso no segundo semestre do ano passado, e agora os cafeicultores encontram grãos maduros, verdes e secos misturados, o que não garante boa bebida.

A laranja da variedade precoce e a de meia estação estão em fase de colheita e a produtividade, apesar de estar maior do que a da safra passada, está aquém de sua potencialidade. Houve chuvas em excesso na época da floração, diminuindo a quantidade de frutos no pé. Além da menor produtividade, fungos na época da floração e pragas durante o desenvolvimento dos frutos elevaram o custo de produção. Mesmo assim, os preços estão em alta e compensam, em parte, a menor produtividade.

Segue a colheita da mandioca segunda safra; com clima favorável para o desenvolvimento das raízes, começa a entrar no mercado produto de boa qualidade e com preço menor. A elevação da umidade do solo no sul do Estado favoreceu o desenvolvimento vegetativo das lavouras de cevada e aveia. Os dias ensolarados com temperaturas amenas melhoram a qualidade do morango em Monte Alegre do Sul e Atibaia. Os frutos ficam mais doces e com coloração mais acentuada.

ANA MARIA H. DE ÁVILA É PESQUISADORA DO CEPAGRI/UNICAMP. PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE TEMPO E CLIMA, ACESSE WWW.AGRITEMPO.GOV.BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.