Clima no Pavão-Pavãozinho volta ao normal após protesto

Três dias depois do protesto de moradores do morro Pavão-Pavãozinho que terminou em tiroteio e confusão em Copacabana, na zona sul do Rio, a quantidade de policiais patrulhando a favela nesta sexta-feira, 25, é bem menor do que nos dias anteriores. Pelo menos três equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), tropa de elite da Polícia Militar fluminense, circulavam pela comunidade hoje.

MARCELO GOMES, Agência Estado

25 Abril 2014 | 14h48

O número de PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) parece ter voltado ao normal e apenas uma patrulha está estacionada na esquina da Rua Sá Ferreira, em Copacabana, com a Ladeira Saint Roman, que dá acesso ao Pavão-Pavãozinho. Neste sexta-feira, o comércio na Sá Ferreira funciona normalmente, ao contrário de ontem, quando lojistas relataram terem sido obrigados a fechar as portas por jovens supostamente ligados ao tráfico na favela.

Mais conteúdo sobre:
dançarino morte Rio protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.