Clima vai afetar preço do milho mais que petróleo

O cinturão do milho dos Estados Unidos pode ser forçado a se mover do Centro-Oeste do país para o Norte, em direção à fronteira com o Canadá, para escapar de ondas de calor devastadoras que podem ocorrer nas próximas décadas em decorrência do aquecimento global. É o que alertam pesquisadores das universidades Stanford e Purdue hoje na revista Nature Climate Change.

O Estado de S.Paulo

23 Abril 2012 | 03h01

A estimativa dos autores é que se os fazendeiros permanecerem onde estão atualmente, as mudanças climáticas por volta de 2040 podem provocar grandes oscilações nos preços do grão, afetando os valores de alimentos, do rendimento dos produtores, dos criadores de gado e também do etanol de milho.

Para os pesquisadores, esse impacto do clima poderia superar em muito a volatilidade de preços já causada atualmente pela variação do valor do petróleo ou por políticas governamentais de energia de incentivo à produção de biocombustíveis.

O estudo, baseado em dados econômicos, climáticos, agrícolas e modelos computacionais, aponta que mesmo um aumento de 2°C já pode causar esse efeito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.