Clínicas britânicas "em crise" por escassez de doadores de sêmen

As clínicas de fertilidade britânicas estão à beira de uma "crise nacional" devido à escassez de doadores de sêmen no Reino Unido, advertiram nesta segunda-feira várias organizações de analistas.Segundo a Infertility Network UK, a falta de voluntários se deve a uma recente mudança na legislação que aboliu o anonimato dos doadores em favor do direito dos descendentes a saber quem é seu pai.No entanto, outros analistas, como Laura Witjens, do National Gamete Donation Truste, acreditam que a escassez é causada pela falta de conscientização entre a população.Dados da Autoridade de Embriologia e Fertilidade Humana indicam que o número de doadores de sêmen no Reino Unido caiu nos últimos anos: de 325 novos voluntários registrados em 2000 para 99 em 2005.Segundo este organismo, o desejável seria que houvesse pelo menos 500 doadores de esperma a cada ano, contra 1.500 doadoras de óvulos.A diretora-executiva da Infertility Network UK, Clare Brown, assegura que há "enormes obstáculos" para recrutar novos doadores, enquanto aumentam as listas de espera nas clínicas."Se não fizermos algo em breve, as coisas vão piorar. Devemos fazer uma campanha para conscientizar as pessoas", advertiu.

Agencia Estado,

31 de julho de 2006 | 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.