Clube de voo livre descredencia instrutor no Rio

O Clube São Conrado de Voo Livre anunciou nesta terça-feira que descredenciou por tempo indeterminado o instrutor Allan Figueiredo. Ele acompanhava a turista baiana Priscila Boliveira, de 27 anos, quando ela caiu de uma altura de 30 metros e morreu durante um voo, na praia de São Conrado, na zona sul do Rio, no último domingo.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

27 Março 2012 | 18h33

Dois integrantes da comissão técnica do clube analisaram as imagens feitas minutos antes do acidente e consideraram Figueiredo responsável pelo acidente. Priscila havia tentado um salto e desistiu. Nesse momento as travas do parapente estavam acionadas.

Mas a moça precisou voltar caminhando ao ponto de salto para tentar de novo e alguém abriu a trava, provavelmente para que ela tivesse mais liberdade para andar. Antes de iniciar o segundo salto, o instrutor não verificou se as travas estavam acionadas. Uma delas estava aberta e a moça caiu. Figueiredo também foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo (sem intenção de matar).

Mais conteúdo sobre:
parapente acidente RJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.