CMN amplia em R$5,5 bi financiamento para mobilidade urbana e saneamento

O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou nesta segunda-feira o uso de até 2 bilhões de reais do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para obras de mobilidade urbana e de até 3,5 bilhões de reais para financiamento de ações de saneamento ambiental do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Reuters

26 de maio de 2014 | 16h35

No total, as ações de mobilidade urbana dentro do PAC somam 21,4 bilhões de reais e 29,45 bilhões de reais para saneamento básico.

O CMN acatou pedidos do Ministério das Cidades para atender a demanda de projetos que já haviam sido contratados, segundo nota divulgada pelo Ministério da Fazenda.

O CMN também aprovou resolução para definir os critérios dos financiamentos para países com menor acesso ao mercado internacional de crédito que compram bens e serviços brasileiros, dentro do Programa de Financiamento às Exportações (Proex).

A principal medida foi reduzir a taxa de juros a 0,5 por cento ao ano, ante 2 por cento ao ano ou a libor, dependendo da que for menor.

O CMN também prorrogou até o fim desse ano a linha de crédito do Programa Caminho da Escola para aquisição de transporte escolar. Segundo o Ministério da Fazenda, ainda estão disponíveis cerca de 50 por cento do total de 900 milhões de reais disponibilizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

(Por Tiago Pariz)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCMNPAC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.