CNBB diz estar preocupada com movimento pró-aborto

Um dia depois das declarações feitas pelo governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), relacionando a alta taxa de natalidade entre pessoas de classes econômicas menos privilegiadas e a violência, a Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB) reforçou sua defesa contra o aborto. Hoje, o presidente da entidade, Geraldo Lyrio Rocha, afirmou estar preocupado com a movimentação pró-aborto, que passou a ser mais freqüente também entre autoridades do País. Além da Cabral, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, desde o início de sua gestão enfatiza a necessidade de se debater o assunto.Durante uma entrevista concedida ontem para o site G1, o governador do Rio defendeu o aborto como método de redução de violência no Estado e afirmou que a favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, "é uma fábrica de produzir marginal." "Estamos muito preocupados. A CNBB defende a vida desde o primeiro instante. Por isso, o tema será abordado durante a Campanha da Fraternidade do próximo ano", disse Lyrio Rocha.

LÍGIA FORMENTI, Agencia Estado

25 de outubro de 2007 | 21h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.