CNJ pede anulação de concurso para juiz no Rio

O conselheiro Felipe Locke Cavalcanti, relator do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), votou ontem pela anulação do 41º concurso para juiz do Tribunal de Justiça do Rio. O relator foi acompanhado pelo conselheiro Paulo Lôbo e, em seguida, o conselheiro Técio Lins e Silva pediu vista do processo, suspendendo o julgamento, depois de cerca de quatro horas de debates.Cavalcanti apontou uma série de irregularidades no concurso entre elas a participação, nas bancas examinadoras, de professores de cursos preparatórios, quebra de sigilo de gabarito, identificação de provas, existência, nas provas, de questão retirada de apostila de curso preparatório e reprovação proposital de candidata na prova oral. O caso chegou ao CNJ por meio do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de sua seccional do Rio. A principal denúncia era a suspeita de vazamento de gabarito. Cavalcanti identificou irregularidades cometidas pelo presidente do TJ/RJ à época da realização do concurso, desembargador Sérgio Cavalieri Filho. "Há provas inequívocas de que as respostas foram divulgadas", disse. O julgamento do caso deve ser retomado na próxima sessão ordinária do Conselho, no dia 11 de março.

PAULO R. ZULINO, Agencia Estado

27 de fevereiro de 2008 | 09h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.