Coca-Cola e Pepsi devem propor novo código de conduta

Processo de blindagem preventiva das marcas deve trazer ações para a prevenção da obesidade infantil

Ansa

20 de maio de 2008 | 14h51

As empresas Coca-Cola e Pepsi devem colocar em prática um novo código de conduta - devido à preocupação com a integridade da marca e com a possibilidade de sofrer processos de demonização (como acontece com as empresas de tabaco) - num processo de blindagem preventiva dos produtores do refrigerantes, considerados vilões da saúde infantil. As novas regras prevêem, entre outras novas atitudes, o fim da publicidade direta às crianças menores de 12 anos até o fim de 2008.   Segundo fontes, o novo código ético poderá ser apresentado já nesta terça-feira, 20, em Genebra (Suíça), durante a assembléia anual da Organização Mundial da Saúde (OMS).   Algumas pesquisas, que somam os estudos aplicados a cerca de 400 milhões de pessoas com excesso de peso, indicam que a geração de jovens de hoje corre o risco de viver menos que a geração dos pais devido a problemas decorrentes da obesidade.

Tudo o que sabemos sobre:
propagandasjovensCoca-ColaPepsi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.