Cofre do Banco Central é encontrado pela PF apenas com papéis

Operação prende irmã do Alemão, acusado de ser mentor do crime; carros, motos e dinheiro são apreendidos

Carmem Pompeu, de O Estado de S.Paulo,

04 de abril de 2008 | 14h08

Apenas papéis foram encontrados no cofre apreendido pela Polícia Federal (PF), na quarta-feira, 02, numa operação em Boa Viagem, a 215 quilômetros de Fortaleza. Na mesma operação, foram presas cinco pessoas acusadas de ligação com o furto milionário ao Banco Central de Fortaleza, em agosto de 2005. Entre os detidos está Geniglei Alves dos Santos, irmã de Antônio Jussivan Alves dos Santos, o "Alemão", condenado a 49 anos e dois meses de prisão por planejar e executar o roubo ao BC.   Veja também: Segundo advogada, Alemão nega ser mentor de roubo ao BC PF prende mentor do milionário furto ao BC de Fortaleza Bandido teria pago R$ 3 milhões por sua liberdade   As diligências na cidade onde nasceu boa parte da quadrilha que levou R$ 164,7 milhões do banco, também resultaram na apreensão de dez veículos, cinco motocicletas e R$ 3,6 mil. Elas dão continuidade à operação Facção Toupeira, desencadeada desde 8 de agosto de 2005 para investigar o furto ao BC de Fortaleza com o objetivo de identificar os criminosos e recuperar o numerário furtado.   As cinco pessoas presas foram ouvidas ainda na noite de quarta-feira. Nenhuma delas confessou envolvimento na lavagem do dinheiro. Geniglei, no entanto, teria atuado, segundo investigações da PF, como "secretária" na falsa empresa de onde partiu o túnel por onde os ladrões tiveram acesso à caixa-forte do BC.   A irmã de Alemão teve prisão preventiva decretada. As outras quatro pessoas são suspeitas de estarem lavando parte do dinheiro e estão apenas com prisão temporária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.