COI alerta Rio que tempo é valioso e prazos precisam ser cumpridos

O Comitê Olímpico Internacional (COI) voltou a cobrar dos organizadores dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira, que observem estritamente os prazos estabelecidos para os preparativos da Olimpíada de 2016 de forma a evitar atrasos.

Reuters

21 de novembro de 2012 | 16h28

"Tenho certeza que o time do Rio está ciente da urgência e do fato que os Jogos precisam ser entregues em uma data específica, você não pode adiar. É como um jogo de futebol, mas você não tem prorrogação se perder tempo", disse a jornalistas o membro do comitê executivo do COI Denis Oswald, que foi o chefe da comissão de coordenação do COI para Londres-2012.

A prefeitura do Rio garante que todos os projetos de infraestrutura e de arenas esportivas para os Jogos Olímpicos estão dentro do cronograma, ao contrário do que acontece com várias obras das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, principalmente nos aeroportos e obras de mobilidade urbana, que estão atrasadas e correm risco de não ficarem prontas a tempo.

Por conta desses atrasos, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse este ano que o Brasil precisava de um "chute no traseiro" para acelerar os preparativos, provocando uma crise com o governo brasileiro que foi contornada posteriormente com um pedido de desculpas.

Os dirigentes do COI, por sua vez, repetiram a cobrança para que os prazos sejam cumpridos e lembraram que há bastante trabalho a ser feito.

Membros da organização da Olimpíada da capital britânica estiveram reunidos no Rio dos dias 17 a 21 para um evento organizado pelo COI para a transferência de conhecimento para futuras cidades-sedes de Olimpíadas, incluindo a Rio-2016 e os Jogos de Inverno Sochi-2014 e PyeongChang-2018.

"Os Jogos são um projeto incrivelmente complexo, como todos nós sabemos, mas o tempo é um artigo realmente valioso e o Rio, como Londres, deve garantir a maximização do tempo disponível para cumprir os altos padrões que eles próprios estabeleceram", disse Nawal El Moutawakel, vice-presidente do COI e presidente da comissão de coordenação do COI para a Rio-2016.

"Receber os Jogos Olímpicos é um projeto complexo e não há tempo a perder. O Rio 2016 está ciente disso e sabemos que fará um bom trabalho", acrescentou.

Entre as principais obras dos Jogos de 2016, a construção do Parque Olímpico está na fase de demolição do Autódromo de Jacarepaguá, onde será erguido o complexo esportivo, e a Vila Olímpica está no estágio inicial de obras. A cidade também está passando por obras de mobilidade urbana e expansão do metrô para a Barra da Tijuca, onde será realizada a maior parte dos Jogos.

(Por Pedro Fonseca, com reportagem da Reuters TV)

Tudo o que sabemos sobre:
OLIMPRIO2016ALERTATEMPO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.