Coleção era maior do País

Em maio de 2010, um incêndio, posteriormente considerado criminoso pelo Ministério Público, afetou o prédio de coleções do Instituto Butantã, destruindo parte da coleção reunida em mais de 120 anos. Na ocasião, o local comportava 77 mil exemplares de serpentes e 450 mil de aranhas e escorpiões. No dia chegou a se estimar que praticamente todas as serpentes tinham sido consumidas pelo fogo, mas depois os remanescentes foram surgindo. Um inventário completo, porém, ainda não foi feito, o que deve ocorrer quando o novo prédio for inaugurado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.